16 maio 2011

Consequências do Uso do Álcool


Consequências Físicas do Uso em Excesso

  •  acidentes (no lar, no serviço e nas estradas);
  •  alterações no sangue (hemorragias, hepatite e outras);
  •  ossos e articulações (ácido úrico elevado, degeneração dos ossos e outros);
  •  lesão cerebral (síndrome de Wernicke-Korsakoff, degeneração cerebelar, ambliopia);
  •  câncer (na boca, esôfago, estômago, fígado e outros);
  •  pulmão (pneumonia, tuberculose e outros problemas);
  •  epilepsia;
  •  síndrome fetal (vide parágrafo anterior);
  •  coração (arritmias, cardiopatia, hipertensão e doença coronariana);
  •  lipemia;
  •  hipoglicemia;
  •  fígado (cirrose hepática e outras doenças);
  •  miopatia;
  •  pancreatite;
  •  neuropatia (ou neurite) periférica);
  •  sexo (disfunção testicular e impotência); e
  •  esôfago e estômago (efeitos corrosivos diretos do álcool sobre estes órgãos como: gastrite, úlcera péptica, esofagite e síndrome de Mallory-Weiss).        

    Outros Dados sobre o Álcool

                                                                
    •  É preciso saber que o álcool é a porta de entrada das drogas !.
    •  A idade em que o adolescente começa a tomar álcool está cada vez menor, com a média atual em 13 anos.
    •  As causas do alto número de pessoas dependentes de bebidas alcoólicas no Brasil deve-se, principalmente, à cultura nacional. A cerveja, p.ex., é aceita como uma bebida tradicional e a cachaça é conhecida como "caninha da roça", "bebida de macho" e outros slogans.Você bebe no frio para esquentar e no calor para esfriar.
    •  Para acabar com o vício, o usuário de álcool precisa ter consciência do problema que está enfrentando e o desejo de se livrar dele. Isso pode ser feito através da desintoxicação em Clínicas Especializadas e com o indispensável apoio e compreensão da família.
    •  Em geral, nosso fígado leva uma hora para processar 30 gramas de álcool (aproximadamente uma latinha de cerveja).
    •  O álcool interfere no processo de concentração no trabalho e os alcoolistas estão justamente na faixa de maior produtividade do indivíduo (entre 25 e 45 anos).
    •  O álcool é responsável pela maioria dos acidentes de trânsito, porque altera a percepção do espaço, do tempo e a capacidade de enxergar bem.
    •  O alcoolismo é uma doença crônica, incurável e progressiva, que mina o organismo, atacando todos os seus órgãos.
    •  Pesquisa realizada em 5 capitais brasileiras revelou que 45% dos jovens entre 13 e 19 anos envolvidos em acidentes haviam ingerido bebida alcoólica.
    •  O consumo global, expresso em g/kg peso corporal, multiplicado por anos de bebida, fornece um elemento preciso de previsão da incidência de cirrose hepática.
    •  A lesão hepática é a consequência (a longo prazo) mais séria do consumo excessivo. Ocorre um aumento do acúmulo de gordura (fígado gorduroso), que progride para uma hepatite (inflamação do fígado) e termina com necrose e fibrose hepáticas irreversíveis.
    •  Por não apresentar cargas elétricas e por ser altamente solúvel em gorduras, é rapidamente absorvido pelo organismo. Uma quantidade apreciável é absorvida já no estômago. Ingerido com o estômago vazio, produz um efeito muito maior.
    •  Cerca de 90% do álcool é metabolizado no corpo e 5 a 10% é excretado (sem modificações) no ar expirado e na urina. Essa fração serve de base para a estimativa das concentrações sanguíneas de etanol por dosagens na respiração (bafômetro) ou na urina.
    •  Admite-se que a proporção entre as concentrações de etanol no sangue e nos pulmões seja de 21%, ou seja, 1 mg de sangue contém uma quantidade de álcool equivalente à que contém 2,1 litros de ar dos pulmões. A concentração na urina é mais variável e fornece uma medida menos precisa das concentrações sanguíneas.
    •  A taxa de eliminação do etanol do organismo praticamente independe de sua concentração no sangue e corresponde, no homem, a cerca de 0,1 g/kg peso.hora ou cerca de 10 ml/h em uma pessoa normal.
    •  Os alcoólatras são difíceis de se anestesiar com drogas como o Halotano.      

      Generalidades

      Alcoolismo é uma doença caracterizada por problemas associados à ingestão de etanol (álcool etílico). Esses problemas se referem a diferentes áreas: familiares, educacionais, legais, financeiras, médicas e operacionais. Em 1935 os Alcoólicos Anônimos - AA definiram comoalcoolista "toda pessoa vencida pelo álcool e cuja vida começa a ser incontrolável".
      O álcool é a substância química mais utilizada pela humanidade. Está presente na maioria das festas e rituais religiosos. Quase todos os países do mundo, onde o consumo é aceito, possuem uma bebida típica da qual se orgulham os seus habitantes. Na Escócia é o uísque, no México a tequilha e no Brasil, a cachaça.
                                 

Nenhum comentário:

Postar um comentário