10 maio 2011

Números dos Estragos que o Álcool Causa a População e ao País

Um levantamento realizado pelo Grupo Interdisciplinar de Estudos de Álcool e Drogas (GREA) do Instituto de Psíquiatria do Hospital das Clínicas, em São Paulo constatou que cerca de 15% da população Brasileira é alcoólatra. O coordenador do grupo, Arthur Guerra de Andrade, afirma que o Brasil gasta 7,3% do Produto Interno Bruto (PIB) por ano para tratar de problemas relacionados ao álcool, que variam desde o tratamento de um dependente até a perda da produtividade por causa da bebida. Já a indústria do do álcool no País movimenta 3,5% do PIB. " O País gasta, para tratar problemas provocados pelo álcool, o dobro do que recebe pela produção da bebida", segundo Andrade. " Não há nenhum País onde essa avaliação foi feita que ganhe mais do que perde com o álcool, mesmo considerando os grandes exportadores mundiais de bebida". Por outro lado, a mais recente estatística da Secretária Nacional Antidrogas (Senad) mostra que aumentou o número de estudantes brasileiros que consomem álcool na adolescência. Em todo o país foram entrevistados 48.155 jovens na faixa etária até 18 anos, e 81% deles respondeu já ter experimentado algum tipo de bebida alcoólica. Existe ainda um documento da Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas (ABEAD) revelando que nos anos 70 a inicialização alcoólica se dava entre jovens de 14 e 15 anos. Hoje, a faixa etária para os primeiros goles teria caído para 12 e 13 anos. A OMS e o Banco Mundial alertam sobre a necessidade de abordar os problemas relacionados ao consumo de álcool através de uma perspectiva de saúde pública. Os dados indicaram que o impacto do consumo de álcool não pode ser medido apenas através de estatísticas de mortalidade por dependência do álcool ou cirrose alcoólica. O álcool é fator contribuinte para doenças e mortes por mais de 60 condições listadas no CID ( Código Internacional de Doenças ). Explicam que o consumo excessivo de álcool está relacionado à mortes e internações por lesões intencionais e não intencionais: violência, quer seja doméstica, contra terceiros, em acidentes de trânsito, e afogamentos, suícidios, queimaduras e outros. Tais problemas vitimam jovens e adultos jovens, principalmente. Outras estatísticas da ABEAD relatam que à associação álcool e alcoólismo é responsável por 75% dos acidentes de trânsito com mortes; 39% das ocorrências policiais, e constitui-se na 3a causa de absenteísmo, respondendo por 40% das consultas psíquiatras no Brasil.  Além disso, dados do Ministério da Saúde no Brasil, apresentado pelo Datasus, demonstram que no período de (1993-1998) os Transtornos Mentais foram a 4a causa de internação hospitalar, sendo suplantadas apenas pelas internações por problemas respiratórios, circulatórios e dos partos.  Dentre as 426.602 internações do ano de 1998, a proporção de pessoas com Transtornos Mentais devido ao álcool foi de 20,6%.

Nenhum comentário:

Postar um comentário