24 junho 2011

Alcoolismo - Perguntas e respostas ?


Perguntas e respostas sobre: Alcoolismo

O que é alcoolismo?
O alcoolismo é uma doença crônica que compreende os seguintes sintomas: desejo incontrolável de beber, perda de controle (não conseguir parar de beber depois da pessoa ter começado), dependência física (sintomas físicos como sudorese, tremedeira e ansiedade quando a pessoa está sem o álcool) e tolerância (a pessoa com o tempo passa a precisar de doses maiores de álcool).
Quais os efeitos do consumo de álcool no organismo?O álcool é um depressor do Sistema Nervoso Central e age diretamente em diversos órgãos, tais como o fígado, o coração, vasos e na parede do estômago. Os efeitos do álcool no cérebro podem ser percebidos da seguinte maneira: nos primeiros momentos após a ingestão de álcool, podem aparecer efeitos estimulantes como euforia, desinibição e loquacidade (maior facilidade para falar). Com o passar do tempo, começam a aparecer os efeitos depressores.
Como saber se uma pessoa tem problemas com álcool?
Você já pensou que deveria diminuir seu consumo de álcool? Alguém já a criticou por causa da bebida? Você já se sentiu mal ou culpado por beber? Você já acordou e a primeira coisa que fez foi beber para se sentir bem? Se você respondeu positivamente a uma destas questões, isto pode ser um indicativo de que você tem problemas com o álcool. Mais de uma resposta afirmativa indica que há uma grande probabilidade de você ter.
O alcoolismo é hereditário?A herança genética pode explicar parcialmente a vulnerabilidade de alguns indivíduos à dependência do álcool, já que outros fatores também demonstraram estar relacionados. Entre eles, podemos citar: estilo de vida, influência do meio, presença de eventos estressores e capacidade de enfrentamento frente aos problemas ou dificuldades.
Devemos parar de ingerir bebidas alcoólicas quando estamos tomando remédios?
Sim, quando estamos fazendo uso de medicamentos, a ingestão de uso do álcool deve ser evitada. Uma única dose de álcool pode inibir a metabolização de um determinado medicamento prolongando seus efeitos no organismo, ou de maneira contrária, o uso prolongado do álcool pode diminuir os efeitos do medicamento por um aumento na ativação de enzimas metabolizadoras desta droga.
Existe levantamento de quantas vítimas e quantas vítimas fatais são envolvidas em acidentes automotores?De todos os acidentes de carro nos Estados Unidos, em 2002, envolvendo uso de álcool, 4% resultaram em morte e 42% em ferimentos graves. Estudo retrospectivo de todas as autópsias realizadas em 1999 nos casos de morte por acidentes de trânsito (Instituto Médico Legal de SP) mostra que, aproximadamente, 50% destes óbitos tiveram relação com o uso de álcool.
Como prevenir o alcoolismo?
Através de um diagnóstico precoce, muito dificultado pelo mecanismo mais usado pelo alcoolista e família chamado "negação". A sociedade e a família são permissivas e condescendentes quanto ao álcool. Fica difícil assumir que possuem alguém da família com o alcoolismo, este diagnóstico sempre vem com um forte peso moral, visto que desconhecem que o alcoolista possui uma doença.
Como detectar os primeiros sinais da doença?Exige um preparo profissional e uma ação integrada de médicos, enfermeiros, recursos humanos, assistentes sociais, chefes de seção... ou outros profissionais que possam distinguir as repetidas queixas de diarréia, gastrite, dor de cabeça, nervosismo, constantes abusos, etc.
Qual a diferença entre alcoolismo masculino e feminino?Alcoolismo é uma doença progressiva, mais lenta no homem (aparece depois de uns 20 a 25 anos de uso) e mais rápido na mulher (aparece após 5 a 10 anos de uso). Isto porque a mulher tem mais células gordurosas do que o homem, este tem mais massa muscular. A gordura atrai e retém mais líquidos e fica exposto mais tempo às substâncias nocivas do álcool. Há 15 anos atrás a porcentagem era de 1 mulher para 20 homens, hoje é de 1 mulher para 6 homens
Como diferenciar o bebedor social do bebedor abusivo?O comportamento de ambos é bem semelhante, ambos podem ou não serem alcoolistas, mesmo que consigam ficar algum tempo sem beber. A quantidade e a freqüência também pode ser semelhante, mas para os autores Vespucci (1999), a diferença está na ressaca. O bebedor não alcóolico cuida da ressaca, toma água, alivia a dor de cabeça e do estômago, evita com repulsa a bebida. Não permite que a bebida interfira no seu modo de beber. O alcoolista perde progressivamente o controle sobre o álcool, sutilmente suas ações passam a girar em torno da bebida, nem ele, nem a família se dão conta. Ele procura curar a ressaca, quando as tem, bebendo um pouco mais. Depois do porre, o dia seguinte é um novo namoro, pode também ficar períodos prolongados de abstinência, semanas ou meses, mas quando ingere, mata aquela "saudade", funciona como muleta, a bebida alivia, tranqüiliza.
Existe cura?
Não há cura, o portador do alcoolismo pode deter a doença, mas primeiro precisa aceitar que ela existe, depois conscientizar-se do problema e praticar abstinência completa.
Quais as fases da doença?
A doença tem fases evolutivas:
Fase da adaptação: o organismo aprende a "funcionar a álcool" 
Fase da tolerância: o organismo pede doses crescentes para sentir os mesmos efeitos 
Fase da dependência química
Alguns autores classificam os alcoolistas, na fase da dependência química, de acordo com seu grau de envolvimento com o álcool:
-Bebedor periódico: bebe grandes quantidades em pouco tempo e depois passam meses sem beber. 
-Bebedor discreto e silencioso: bebe quase diariamente, regularmente e quantidade relativamente pequena. 
-Bebedor assumido: bebe sempre, muito e constantemente. 
-Bebedor camuflado: bebe sempre, quantidade pequena, média ou grande, mas raramente se embriaga.
Quais as etapas progressivas da doença?Etapa do "beber social" cotidiano e noturno, mesmo um pequeno drinque, uma lata de cerveja diária, é prenúncio de que o organismo está dependente, precisa relaxar antes de dormir.
Etapa do "beber social" ao apagamento - bebe antes, durante e depois do evento social, quando excede promete a si e aos outros que vai se controlar. Começa a ter os primeiros apagamentos, amnésias que o impede de lembrar o que fez na noite anterior.
Etapa intermediária: agravamento dos sintomas, busca ambientes desconhecidos para beber sem fiscalização. Chega em casa bêbado, com acentuado nervosismo, não sabe administrar as emoções, usa da mentira com freqüência para evitar críticas. Começa a tremer as mãos pela manhã, deteriorar as relações profissionais e familiares e freqüentemente não consegue ir ao trabalho às segundas-feiras.
Etapa final: morte, loucura ou recuperação. Sofre terríveis síndromes de abstinência se ficar sem a bebida, sofre taquicardia, sudoreses, convulsões, delirium tremuns... fica em desnutrição, cai com freqüência, não tem higiene... entra em degradação física, mental e emocional.
Onde termina o beber normal e começa o alcoolismo?Esta é uma questão intrigante, saber onde termina o beber normal e começa o alcoolismo. Como afirma Jandira Masur, tentar responder a isso é o mesmo que distinguir entre o rosa inicial até se transformar no vermelho, difícil é a distinção do momento em que o rosa não é mais rosa. Existem sinais óbvios para se saber quando é o vermelho: a pessoa perdeu o emprego, a relação com a família está péssima, bebe pela manhã, complicações orgânicas começam a surgir: gastrite alcoólica, tremedeira nas mãos etc. Descobrir quando o rosa não é mais rosa é bem mais difícil. Certos critérios são aceitos por alguns autores, como: a quantidade e a freqüência do álcool ingerido; se a pessoa bebe diariamente; se bebe sozinho; se bebe a ponto de sofrer prejuízos físicos ou se chegou a perder a liberdade sobre o ato de beber em detrimento de outras coisas na vida familiar ou profissional. O processo de transição de um estado moderado para a dependência é longo, leva anos. Ninguém dorme bebendo normalmente e acorda alcoolista . Utilizamos o termo alcoolista, ao invés de alcóolatra, seguindo a mesma orientação dos autores de "Alcoolismo Hoje", acreditamos que o dependente de álcool , usa-o por necessidade e não por adorá-lo, visto que o sufixo "latra" indica adoração.
O que leva ao alcoolismo?O alcoolista começa a beber pelas mesmas razões que o não alcoolista, isto é, pelo prazer que a bebida oferece. Porém uns bebem moderadamente a vida toda, não se excedem e nem se embriagam, devido, segundo alguns autores, ao próprio organismo que impõe limites. Outros não sentem atrativo nenhum pela bebida. Existem aqueles que ficam fascinados pelo prazer de beber, permanecem bebendo longos anos, até que a dependência se instala e problemas sérios começam a surgir.
Qual a ação do álcool do ponto de vista médico?De acordo com os médicos Dr. Otto Wolff e Dr. Walther Bühler, observa-se no álcool 2 tipos de efeitos: um negativo e outro "positivo". Sendo o álcool uma droga, é capaz de provocar sérios danos, inclusive a morte, caso seja ingerido em excesso. O fígado é o órgão mais lesado, pesquisas revelaram que "após a ingestão de pequenas quantidades de álcool, mesmo um fígado sadio apresenta lesões celulares... A ingestão de quantidades maiores de álcool (80-160 g. ou seja 1-2 litros diariamente, inevitavelmente produz grave lesão do fígado após algum tempo" Wolff, Bulher (1987).
Os danos também podem se dirigir à arterioesclerose coronário (riscos de infarto do miorcádio), neurites, etc. lesões que, no mínimo, encurtam a vida humana e provocam moléstias crônicas. Quanto ao efeito "positivo", muitos apreciam a sensação psíquica agradável, a sensação de calor que estimula e ativa, a sensação de uma aceleração do metabolismo e da circulação, o esquecimento das preocupações. Após mais doses, esclarece os Drs. Wolff e Bulher aparece o aumento da eloqüência, do bom humor, mais uma dose, o estado de alegria se transforma em excitação, diminui a capacidade do pensamento, visão dupla, vertigens e embriaguez.
O uso do álcool na Antigüidade é diferente do uso atual?
O álcool é tão antigo quanto a humanidade, mas existem diferenças fundamentais entre o passado e o presente. Antigamente as bebidas tinham baixo teor alcoólico, os tempos eram outros, a estrutura do homem antigo totalmente diferente do moderno, dizia Drs. Wolff e Bülher que o álcool era até um fator positivo, dava o "peso terreno" que faltavam aos antigos.
Afirmam eles que "do ponto de vista da humanidade, a missão do álcool era retirar o homem de seu estado de consciência clarividente e atavístico, e cortar-lhe a ligação direta e instintiva com as forças da natureza e com o mundo espiritual. Este desligamento devia tornar o homem mais terreno e promover a formação da personalidade. Hoje, no entanto, a ligação do homem com a terra é não somente suficiente, mas, às vezes, excessiva, fato que se traduz no aparecimento de certas doenças. Se esta tendência for reforçada constantemente pela ingestão de àlcool (mesmo em quantidade pequena), teremos duas conseqüências: a promoção da predisposição a certas doenças e o impedimento de um passo decisivo na evolução da humanidade. O homem precisa hoje reconquistar a ligação perdida com o mundo espiritual. O álcool impossibilita esta reatação. O álcool é, hoje, um inimigo da humanidade. O consumo regular do álcool é um herança do passado, que precisa ser abandonada em prol do desenvolvimento do eu humano em direção à individualidade criadora e livre".(Wolff e Bülher, ob. cit.,p. 7)
Quais as conseqüências do alcoolismo?O consumo de bebidas alcoólicas é um traço comum na nossa sociedade. É bastante contraditório porque, se de um lado, traz a aproximação fraterna entre as pessoas, de outro, provoca a destruição do indivíduo e daqueles que o cercam, quando é levado ao excesso. As conseqüências físicas na evolução do alcoolismo, mesmo quando o indivíduo possui uma dieta normal, acarretam sérias complicações orgânicas e mesmo desnutrição, porque existe um mau aproveitamento dos alimentos ingeridos, além de problemas digestivos, neurológicos, cardiovasculares, entre outros.
Além destas complicações físicas mencionadas acima, aparecem pela ordem de freqüência, respectivamente, os seguintes problemas sociais: no trabalho; na família (cônjuge e filhos); financeiro; violência; habitacionais; com amigos; previdenciários e legais. De acordo com os Drs. Otto Wolff e Walther Bülher (1987) estas conseqüências do alcoolismo independem do grau de envolvimento com o álcool: "entre as seqüelas do alcoolismo crônico temos alterações nervosas e doenças psíquicas muito variadas...sabemos hoje que o consumo regular do álcool provoca alterações da concepção espiritual, da atenção, da memória, retardamento do pensar, perda da capacidade de crítica e juízo, assim como irritabilidade, tristeza e estreitamento do campo de interesses... Estas alterações psíquicas são devidas em parte a autênticas lesões cerebrais. São manifestações das lesões nervosas em geral, produzidas pelo álcool, e que muitas vezes incluem também paralisias e inflamações nervosas; Progredindo o alcoolismo, surgem finalmente alucinações, isto é, ilusões sensoriais patológicas, e o "delirium tremuns" quadro grave que requer tratamento em clínica psiquiátrica e que se caracteriza principalmente pela desorientação, 7 a 8% dos alcoólicos apresentam, aliás, crises epiléticas, que desaparecem com a "cura" do alcoolismo.
Uma grávida pode ingerir bebidas alcoólicas?Não. Durante a gravidez e amamentação a grávida deve evitar ingerir qualquer tipo de bebidas alcoólicas.
As mulheres grávidas não devem ingerir bebidas alcoólicas porque o álcool será absorvido pelo organismo do bebé através do sistema circulatório, o que, na prática, significa que o bebé absorve o que a mãe bebe. Se a mulher grávida beber muito ou beber frequentemente, o bebé em gestação está permanentemente sob a influência do álcool. O mesmo acontece com as mulheres que amamentam.
O que são bebidas alcoólicas?São bebidas que contêm álcool na sua composição. O álcool etílico ou etanol, é uma molécula cuja fórmula química CH3 CH2 OH apresenta-se em diferentes concentrações nas bebidas alcoólicas, e que se associa a outros elementos químicos responsáveis pela cor, sabor, odor que caracterizam as diferentes bebidas alcoólicas.
O álcool é um líquido incolor, volátil, de cheiro característico, sabor ardente e com uma densidade de 0.8. é mis cível com a água, ferve a 78,5º e pode separar-se da água por destilação. Resulta da fermentação de açúcares (a frutose e a glicose), por acção de microorganismos chamados leveduras.
Conversão do volume de álcool em gramas:
Independentemente do tipo de bebida que a pessoa bebe importa saber a quantidade de álcool ingerida, que se pode traduzir em gramas de álcool ingerido. As gramas de álcool são importantes para determinar a quantidade de álcool existente no sangue, e portanto definir o consumo com e sem risco para a saúde. Podemos sempre converter qualquer volume de álcool em gramas seguindo a seguinte regra: cada mililitro de álcool , tem 0.79 de álcool puro.
Por exemplo:I l de vinho de 12º = 120 ml de álcool
120 ml x 0.79 (factos de conversão ) = 95 gramas
O álcool ajuda a lidar com o a timidez?Não. Acha que é tímido? O que tem isso de errado? As pessoas tímidas são muitas vezes amáveis e interessantes, que valem a pena conhecer. Quando sai com alguém que não conhece, a melhor forma de a abordar é perguntar às pessoas algo delas próprias. Em princípio as outras pessoas gostam de falar de si próprias e você pode mostrara ser um bom ouvinte. A sua timidez irá desaparecer se deixar de se preocupar com o que as outras pessoas pensam de si e se, em vez disso, mostrar interesse genuíno pelas pessoas.
Beber um café amargo e muita água dilui os efeitos uma alcoolémia excessiva?
Não. Os efeitos do álcool no organismo dependem das quantidades de álcool consumidas, bem como da saúde do indivíduo. Não existem receitas para atenuar os efeitos do álcool, nem acelerar a sua eliminação (nem ingeri muita água, beber café sem açúcar, ingerir uma colher de azeite). O álcool é eliminado naturalmente por um organismo de boa saúde à razão de 0.10 a 0.15 g/l por hora. Para uma alcoolémia de 1.2g/l sangue é preciso 7 horas para reduzir até 0.5g/l, taxa máxima permitida na condução. No entanto, ingerir água é positivo porque combate a desidratação e porque é uma forma de interromper os consumos de álcool.
O álcool tem efeitos protetores em doenças cardiovasculares?Não. Os estudos recentes não confirmam esta relação. Ter um estilo de vida saudável é que é determinante na proteção de doenças cardiovasculares, nomeadamente, ter uma alimentação saudável e fazer exercício físico. Se não gosta de beber não deverá passar a fazê-lo porque tem ganhos para a sua saúde.
O álcool é um alimento?
Não. O álcool não tem valor nutritivo porque produz calorias inúteis para os músculos e não serve para o funcionamento das células. Contrariamente aos verdadeiros alimentos ele não ajuda na edificação, construção e reconstrução do organismo.
O álcool mata a sede?
Não. A sensação de sede significa necessidade de água no organismo. As bebidas alcoólicas não satisfazem esta falta, provocando, ainda, a perda através da urina, da água que existe no organismo, o que vai aumentar a carência de água e, portanto, a sede. Não esqueça: numa refeição, ao servir um copo de vinho, sirva sempre um copo de água ao mesmo tempo. A água mata a sede e contribui para diminuir a ingestão alcoólica.
Quanto tempo é necessário ao organismo para eliminar uma bebida?
O organismo elimina, em média 0,10 g/l de álcool no sangue por hora. Assim uma pessoa que tiver uma alcoolémia de 0.5g/l, precisa de 5 horas para atingir uma alcoolémia de 0,0g/l. Do total de álcool ingerido, 10% é eliminado pelo ar expirado, pelo suor e pela urina. Os restantes 90% são transformados pelo fígado.
O álcool é uma droga?Quando consumido em excesso o álcool assume-se como uma droga que provoca dependência física e psíquica exactamente como a heroína e cocaína. A diferença é que é uma droga socialmente aceite e legalizada, para além de que é possível um consumo moderado de álcool sem riscos para a saúde, ao contrário das outras drogas.
Ter problemas com o álcool implica em ser alcoólico?Não. O alcoolismo é apenas um dos problemas derivados do abuso regular de álcool. O abuso do álcool também pode ser prejudicial. Um indivíduo pode beber demais sem ser alcoólico, isto é, abusar do álcool várias vezes sem ser dependente. Os problemas que podem advir do abuso de álcool incluem: 
» Irresponsabilidade no trabalho, na escola ou no seio familiar.
» Acidentes de automóvel, de trabalho e infracções por conduzir embriagado.
» Interacções do álcool com medicamentos.
» Ter comportamentos e tomar decisões que não existiriam se estivesse sóbrio. 
» Colocar-se em risco de se tornar dependente.
O alcoolismo pode ser hereditário?
Os estudos de epidemiologia genética confirmam o carácter hereditário do alcoolismo. Para os filhos de alcoólicos o risco da doença é três a quatro vezes maior. Mas convém lembrar que: estar em risco de se tornar alcoólico e tornar-se alcoólico não são o mesmo. O facto de existirem antecedentes de alcoolismo na família, não significa que um filho de pais alcoólicos também o seja. Alguns indivíduos desenvolvem a dependência do álcool, apesar de ninguém na família apresentar esse problema. Igualmente, nem todas as crianças que crescem no seio de famílias alcoólicas desenvolvem problemas com o álcool. Deste modo, saber que se está em risco é importante para tomar precauções, de forma a proteger-se de problemas relacionados com o álcool.Os amigos, o stress e a disponibilidade do álcool são outros factores que podem aumentar o risco de se tornar alcoólico.
O álcool faz aumentar a capacidade sexual?Não. O álcool consumido até certas quantidades (variável com a tolerância de cada pessoa) pode facilitar a desinibição sexual. No entanto, é muito difícil manter um padrão de consumo que leve à perseguição destes efeitos sem abusar. Por outro lado, o consumo abusivo regular provoca no homem impotência sexual, isto porque uma grande dose de álcool afecta os nervos necessários à erecção. Se isto acontecer algumas vezes, o homem pode ficar preocupado com a sua capacidade sexual e a maneira mais certa de um homem não conseguir erecção é preocupar-se com isso. O álcool reduz os níveis de hormona masculinas o que também reduz o desejo sexual e a capacidade reprodutiva, isto também aplica-se à mulher.
Ingerir uma bebida após a refeição facilita a digestão?Não. O álcool faz com que os movimentos do estômago sejam muito mais rápidos e os alimentos passem precocemente para o intestino sem estarem devidamente digeridos, dando a sensação de estômago vazio. O resultado é a falta de apetite e o aparecimento de gastrites e de úlceras.
O que é a taxa de alcoolemia?A taxa de alcoolemia é a quantidade de álcool existente no sangue em determinado momento e expressa-se em gramas de álcool por litro de sangue. O organismo humano tem cerca de 8 litros de sangue. Quando alguém tem uma alcoolémia de 0,5g/l, equivale a dizer que existem 0,5g de etanol ou álcool puro por cada litro de sangue.
A presença de álcool no sangue é a indicação de que o álcool se espalhou em todo o corpo e particularmente nos órgãos mais irrigados, como o fígado, pulmões, o coração, o cérebro e os rins.
Quem é que não pode consumir álcool mesmo que moderadamente?» Mulheres que estão grávidas ou a amamentar.
» Crianças e Jovens até aos 18 anos.
» Pessoa com história de traumatismo craniano, doenças do aparelho digestivo, e do sistema nervoso central.
» Doentes com história de epelipsia.
» Doentes alcoólicos em recuperação.
» Todas as pessoas durante o trabalho e a condução.

Nenhum comentário:

Postar um comentário