09 junho 2011

Epilepsia alcoólica

Marco Smith, neurologista



Não existe epilepsia alcoólica


Epilepsia é um distúrbio ou um sintoma provocado por uma disfunção das células do cérebro ou neurônios, decorrente de diversas doenças ou agressões a esse órgão. Suas causas são inumeráveis, podendo ser genéticas, infecciosas, tumorais, traumáticas. A neurocisticercose que é a infestação do cérebro pela larva da tênia, a popular solitária, é uma das principais.

O álcool, por sua vez, não provoca epilepsia, como muitos acreditam. O neurologista Marco Smith explica que a doença pode aparecer em virtude das conseqüências advindas do excesso de bebida, como acidentes. Alguém que cai e bate com a cabeça no chão, por exemplo, pode sofrer traumatismo craniano e desenvolver uma crise. Os hematomas ou coágulos é que seriam os verdadeiros desencadeadores do problema.

De acordo com Marco Smith, existem muitos tipos de tratamento para a epilepsia, inclusive cirúrgicos, com ótimos resultados. “Já encaminhei cerca de doze pessoas para cirurgia e quase 100% foram bem sucedidas”, conta. “Para finalizar, transmito aos leitores uma palavra de otimismo: a epilepsia pode ser curada”, afirma.


Nenhum comentário:

Postar um comentário