17 junho 2012

Alcoolismo - Prevenção de Recaídas

fonte : Minha Vida
Sr. Arthur Guerra
Psiquiatra



Tratamento previne recaída de dependentes alcoólicos

Novos remédios e acompanhamento psicológico ajudam na recuperação

Os períodos festivos, como o Carnaval, o Natal e o Ano Novo, são marcados por uma maior aceitação social do consumo de álcool, aumentando o risco de beber mais e esquecer-se das potenciais consequências negativas deste uso, como acidentes de trânsito, brigas e sexo desprotegido. De fato, há diversos estudos que comprovam o aumento do número de acidentes de trânsito com vítimas fatais relacionados ao uso de álcool nesses períodos. 

Pela minha experiência clínica, outro fator preocupante é que pacientes em tratamento para dependência alcoólica sofrem um risco maior de recaída durante os períodos comemorativos do que em outras épocas do ano. Eles ficam expostos a um contexto em que o consumo de bebidas alcoólicas está relacionado a celebrações e são frequentemente convidados a beber nesses dias. 
Durante períodos festivos, como ano novo e carnaval, os dependentes são expostos a um contexto em que o consumo de bebidas é normal. Isso aumenta os números de recaídas.
Para avaliar maneiras de diminuir esse risco de recaídas, um estudo norte-americano investigou a eficácia de um medicamento chamado naltrexona de liberação prolongada, (NTX-XR) combinado a sessões de psicoterapia em um grupo de pacientes dependentes de álcool. No Brasil, esse medicamento somente existe para uso diário e é utilizado para o tratamento da dependência alcoólica. O formato da naltrexona utilizado no estudo americano tem a vantagem de agir no organismo por um período mais longo o que pode melhorar a aderência dos pacientes ao tratamento. Seus efeitos terapêuticos se estendem para 30 dias e dispensam a necessidade de doses diárias. 
Os autores conduziram um estudo com pacientes dependentes de álcool, acima de 18 anos de idade, e que estavam abstinentes há pelo menos quatro dias antes do início do estudo. Para evitar qualquer tipo de viés, o estudo foi conduzido sem que os pacientes e os médicos soubessem se o que estava sendo aplicado era a NTX-XR, em duas doses diferentes, ou alguma substância semelhante, mas inócua, conhecido como placebo. Todos os pacientes receberam psicoterapia ao longo do estudo.

Três parâmetros de consumo de 
bebidas alcoólicas dos pacientes foram registrados durante 24 semanas, sendo marcados separadamente os feriados dos dias comuns: 

A- dias em que beberam, 
B- dias em que beberam pesado (quatro ou mais doses para mulheres, cinco ou mais doses para homens), 
C- número de doses consumidas por dia. 

Os pacientes tratados com naltrexona de liberação prolongada relataram diminuição significativa do consumo de álcool nos três parâmetros analisados quando comparados com o grupo que recebeu somente placebo e psicoterapia, tanto em feriados quanto em dias comuns. 
Em particular, com relação ao consumo de bebidas alcoólicas durante os dias festivos, os pacientes que receberam a menor dose de naltrexona obtiveram resultados intermediários entre os indivíduos do grupo placebo e os que receberam a maior dose de naltrexona, o que reforça a consistência dos resultados, já que houve uma resposta proporcional à dose do medicamento. Isso significa que quanto maior a dose de naltrexona administrada, melhores os resultados obtidos pelos pacientes (menor consumo de álcool).

É importante lembrar que os autores do estudo enfatizam que muitos dos pacientes dependentes de álcool alcançaram a abstinência durante os períodos festivos quando tratados com naltrexona em combinação com a psicoterapia. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário