21 junho 2012

Consumo Moderado de Álcool Também Traz Riscos


Consumo moderado de álcool também pode trazer malefícios

Levantamento mostra que prejuízos podem ser maiores do que os efeitos positivos

POR MINHA VIDA

Um estudo publicado no periódico Addiction revelou que, embora diversas pesquisas já tenham apontado os benefícios do consumo moderado de álcool para a saúde, esses efeitos não valem para todas as pessoas. O trabalho foi desenvolvido pelo Centro de Dependência e Saúde Mental, do Canadá.
Os especialistas se basearam em 44 outros estudos sobre o assunto, totalizando 957.684 pessoas. Dessas, 38.627 morreram por cardiopatia isquêmica. Uma análise mais profunda mostrou que os efeitos do álcool variam muito. Nem sempre pessoas que ingeriam uma ou duas doses diárias tinham proteção do coração, como alguns especialistas indicavam.
Para os pesquisadores, portanto, não é possível estabelecer uma relação positiva entre álcool e saúde cardiovascular sem considerar outros aspectos ligados à saúde do paciente. Indivíduos com doença hepática alcoólica, cirrose hepática, triglicérides alto, pancreatite, úlcera, insuficiência cardíaca e arritmia cardíaca devem evitar ao máximo o consumo de álcool. Já pessoas com problemas psiquiátricos, gastrite e diabetes podem consumir a bebida desde que permitido por seus médicos e, mesmo assim, em doses pequenas.

Bebida alcoólica e risco de câncer

Outro estudo, publicado no The Journal of the American Medical Association, aponta que beber rotineiramente, ainda que em quantidade moderada, pode aumentar o risco de câncer de mama. A análise foi liderada por pesquisadores da Brigham and Women's Hospital and Harvard Medical School, nos Estados Unidos.
A pesquisa contou com a colaboração de 106 mil enfermeiras entre 34 e 59 anos, que faziam parte de um dos maiores e mais longos estudos sobre mulheres já realizado nos Estados Unidos. Todas foram entrevistadas oito vezes a respeito dos seus hábitos de ingestão de bebida alcoólica entre os anos de 1980 e 2008.
Os resultados mostraram que beber pouco, mas com certa frequência - cerca de três bebidas alcoólicas por semana -, aumenta em 15% a chance de desenvolver câncer de mama. Já aqueles que bebem pelo menos dois copos de vinho ou cerveja por dia têm uma probabilidade 50% maior de ter a doença.
Estudos anteriores já haviam relacionado o consumo de álcool a um risco aumentado de desenvolver câncer de mama. A novidade do novo estudo é a descoberta de que mesmo a ingestão moderada de bebidas alcoólicas favorece a doença, pois os efeitos da substância são cumulativos.



Nenhum comentário:

Postar um comentário