14 janeiro 2013

Álcool e transa não se misturam

SEXO - Álcool e transa não se misturam

 Você tá a fim daquela 'mina', mas morre de medo de chegar perto e levar um fora. Ou então, você consegue a atenção dela, rola um climão, mas bate a insegurança: "Será que vou dar conta?", você questiona.
É claro que também pode acontecer o contrário: a menina tá superafim do carinha, mas fica naquela dúvida eterna se fica ou não com ele. Quando falta coragem para encarar uma situação de estresse como essa como você resolve a questão? Muitos adolescentes veem no álcool uma forma de se desinibir e tomar a iniciativa.
A questão passa a ser: álcool e sexo realmente combinam?
Uma pesquisa da Universidade de Chicago, nos Estados Unidos, revela que a relação entre álcool e estresse pode levar ao consumo cada vez maior. Quer dizer, cada vez que a pessoa encara uma situação de estresse consumindo álcool, como a paquera ou a transa, a tendência é que ela precise cada vez mais da bebida quando se encontra na mesma situação – ou outras desafiadoras.
Outras pesquisas revelam também que mais de 50% dos homens e 30% das mulheres costumam fazer uso de álcool antes de dar início às preliminares, funcionando como mais uma ajudinha na hora da excitação.
Efeitos traiçoeiros
E não são apenas os meninos que utilizam esse truquezinho. Meninas também fazem uso do álcool, porque aumenta a sensibilidade, controla a ansiedade e as deixa mais desinibidas e soltas. Porém, a bebida pode dificultar a sensação de prazer e até dificuldade de levar ao orgasmo.
É bom saber que o álcool em excesso também pode levar a lesões vasculares e nervosas que se refletem nos órgãos genitais. Com algumas doses, o desempenho sexual já pode começar a mostrar dificuldades, como falta de rigidez na ereção, porque o álcool reduz o controle muscular. As disfunções sexuais chegam a atingir mais de 80% dos dependentes de álcool.
O uso de drogas, sejam elas lícitas ou não, também relaxa os cuidados com a prevenção. Assim, as pessoas sob efeito do álcool podem deixar a camisinha de lado com mais facilidade. Dados da Sociedade Brasileira de Medicina Sexual mostram que uso de álcool está diretamente ligado ao esquecimento de preservativos. Em entrevista com pessoas que consumiram álcool e transaram na noite anterior, 73,7% não tinham usado preservativos.
Portanto, para praticar sexo saudável, o ideal é ter bons hábitos de vida e cuidar da saúde em geral. E isso inclui o uso da camisinha, que evita os riscos de contrair doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), como HPV e HIV, e mesmo uma gravidez indesejada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário