17 fevereiro 2013

Bebidas alcoólicas destroem o cérebro e provocam câncer


“Bebidas alcoólicas destroem o cérebro e provocam câncer”

Terceira maior causa de mortes no mundo (só perde para o trânsito e o câncer), o alcoolismo precisa ser combatido com medidas educativas e até com aumento da tributação sobre bebidas. É o que defende o médico Urânio Paiva, da Clínica Árvore da Vida, especializada em tratamento de dependentes químicos.
Em entrevista à repórter Luciana Martins, do PE, ele analisa os efeitos e consequências do álcool e sustenta, a exemplo de recente estudo científico, que o álcool é causador de câncer, embora a doença mais incidente nos seus consumidores seja a cirrose hepática. Numa de suas respostas, o Dr. Urânio Paiva é direto e incisivo: “O álcool é, sim, uma droga”.
O consumo de álcool – segundo a Organização Mundial da Saúde – é a 3ª causa de mortes no mundo, matando 2,5 milhões de pessoas por ano. Como seria possível mudar essa situação?
Esta pergunta é bastante complexa, mas o grande problema é a falta de conscientização das pessoas de que o álcool é uma droga psicoativa. Então, se é uma droga psicoativa, ela vai interferir na linha de pensamento do ser humano, por isso, é importante o trabalho de prevenção.
As escolas precisariam mostrar a gravidade do álcool, quando se torna uma doença, para tentar minimizar seu uso desenfreado do. Um pai oferecendo bebida a uma criança de 12, 13 anos? Acredito que ele não tenha consciência da gravidade de sua atitude, do que representa uma substancia psicoativa no organismo de uma pessoa. O cérebro humano tem um desenvolvimento saudável dos 12 aos 20 anos e se ele usa o álcool, fatalmente vai ter problemas cognitivos, problemas de memória, lesões funcionais no cérebro.
A bebida alcoólica é uma droga? Age no organismo e no cérebro como droga?
Sim, ela é uma droga psicoativa. O cérebro de quem bebe, ao longo dos anos vai sofrendo lesões irreversíveis. Uma pessoa que usa álcool durante 25 anos, por exemplo, tem praticamente o cérebro destruído, e como é uma lesão sem cura, sobrevém a hipertrofia das outras células normais para compensar essa lesão. Isso mostra como é grave o uso do álcool. Quando ingerida, a bebida alcoólica vai para o fígado, onde é metabolizado e recebe ações de algumas enzimas transformando o álcool em água e CO2 (gás carbônico). O CO2 vai para o cérebro e é ele, basicamente, que agride o cérebro.
Estudo recente associou o alcoolismo a casos de câncer. Isso tem fundamento?
Temos um grande exemplo na atualidade que é o ex-presidente Lula, que está com câncer de laringe porque fumava e bebia demais. O álcool provoca mais câncer que o próprio cigarro, principalmente porque está em contato direto com as mucosas. Ele provoca câncer de esôfago, laringe, boca, estômago, pulmão e mama. O álcool é,sim, uma substancia altamente cancerígena.
Por que tem gente que bebe muito todos os dias, e envelhece, e outros bebem menos, e não diariamente, e morrem ainda jovens?
Nesse caso é preciso distinguir dois fatores: primeiro a lesão orgânica e o segundo fator, as consequências do uso do álcool porque a morte não se dá, principalmente dos jovens, só pela lesão orgânica, mas pela consequência do uso. Como por exemplo, ele bebe sai dirigindo, se torna mais agressivo e aí surgem às brigas, e às vezes os homicídios por conta do uso do álcool. Este é lado da consequência do uso. Agora da lesão orgânica vai depender de organismo para organismo. Existe organismo que hereditariamente tem uma falha genética, que é a enzima de desidrogenase acética; com essa falha genética há um processo de feedback do organismo que impulsiona a pessoa a usar o álcool compulsivamente porque, como ele não tem esta enzima, o organismo fica pedindo mais álcool para a enzima aparecer e como ele não tem, ele fica compulsivamente usando o álcool; então essas pessoas não podem colocar nem vinagre na comida. Elas são alcoólatras por uma falha orgânica. Agora, o fato de organicamente as pessoas morrerem mais cedo que outras que bebem é um comportamento genético das pessoas. Existem aqueles que são mais receptíveis a doença e outras não. Então para que pagar pra ver?
Por que a mulher é mais vulnerável ao efeito do álcool?
O álcool tem uma aderência à adiposidade e a mulher retém muito álcool por conta disto, porque esta substância se fixa mais no tecido gorduroso e isto acaba prejudicando mais a mulher. Além disso, ela é mais sensível, chora mais que o homem, e este também pode ser um fator que estimule o consumo de bebida entre as mulheres.
Diferentemente do que se via no passado, os jovens hoje começam a beber bem mais cedo, aos 13, 14 anos. A que se deve isso?
À permissividade. O álcool é uma droga permissível e estamos vendo toda a desestruturação familiar por conta do álcool. A televisão também estimula seu consumo: você vê propagandas na televisão sempre com jovens e mulheres bonitas, mostrando alegria, prazer, harmonia e é uma propaganda totalmente enganosa que estimula o uso do álcool. E paralelo a isto vem a família, os pais, que não têm conhecimento da ação da gravidade do álcool no organismo e muitas vezes oferece ao filho de 12, 13 anos ou muitas vezes pede ao filho para ir comprar a cerveja e tudo isto são formas de estimular. Ora, meu pai usa, por que eu não? Não é tão bom, ele fica alegre, ele não fica descontraído? Só que muitas vezes, eles também ficam aborrecidos, agressivos.
Quais as doenças mais comuns nos dependentes em álcool?
A doença mais grave, mais palpável que a medicina enxerga é a cirrose hepática, que é a alteração das células hepáticas pela agressão direta do álcool ao fígado. Mas ele é um estimulador para formação do câncer e também traz lesões cerebrais irreversíveis. No entanto, a doença mais visível é a cirrose hepática cuja sintomatologia é peculiar à doença.
O governo deveria aumentar a tributação sobre bebidas? Isso ajudaria a diminuir o consumo?
Evidente que, se os impostos aumentassem mais, iria diminuir o acesso à bebida alcoólica e como exemplo temos o Estado de São Paulo que proibiu o fumo em lugares fechados como bares, boates, shoppings e outros locais e isto fez com que reduzisse o número de tabagistas. Estas são medidas que levam as pessoas a se questionar e a gente precisa colocar as pessoas para refletir. E a gente só consegue colocar as pessoas para refletir quando a gente dá conhecimento a essas pessoas do que é uma bebida, um tóxico, e se a pessoa tem amor próprio, vai começar a se proteger.
A letra da música diz ‘quem bebe morre, quem não bebe morre também’. Isso justifica o hábito de beber?
De forma nenhuma. “Eu bebo sim e estou vivendo, tem gente que não bebe e está morrendo” porque a vida não é do nosso domínio, há um ser superior que domina nossa vida. Agora, preservar, cuidar da vida, isso é responsabilidade nossa porque esta é uma graça que Deus nos dá e se você não cuida desse presente esta pessoa vai ficar triste. Você não tem o domínio da vida, mas tem a responsabilidade de cuidar da sua vida, por isso, a mensagem da música é infeliz.
A legislação deveria ser mais punitiva e severa contra pessoas alcoolizadas causadoras de acidentes no trânsito?
Sim, isto é fundamental. É a questão da educação. Por exemplo, se numa empresa, a funcionária começar a quebrar a caneta, e se logo for obrigada a pagar pela caneta, ela não vai quebrar mais. O mesmo deveria acontecer para quem bebe e dirige. Ora, se a pessoa está bebendo e sai dirigindo, ela não está colocando somente a vida dela em risco, mas a dos outros também. É preciso ter punição porque senão tiver as mortes por acidente de trânsito provocado pela ingestão de bebidas alcoólicas continuarão acontecendo. Por isso sou partidário de que as pessoas vão dirigir, após beber, devem ser punidas.
CÂNCER  DE  BOCA 

CÂNCER  DE  LARINGE

E mais de 40 tipo de câncer que você pode 
evitar, lute com determinação e abandone 
alcoolismo. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário