02 março 2014

Álcool, o reflexo da impotência

Crédito : Fernanda Sorce Marinho
Farmacêutica Generalista



Falar que o álcool é a porta de entrada para as outras drogas, hoje em dia, tem um efeito extremamente negativo para a  maior parte das pessoas, afinal, muitas delas tomam seus alcoóis aos finais de semana, ou aos finais da tarde sempre por algum motivo.
Porém, este texto não vem propor um efeito negativo, mas, sim levantar uma importante observação: Por que bebidas alcoólicas podem ser consumidas sem nenhuma restrição sendo que causam tantos problemas quanto as próprias drogas ilícitas? Bebem porque querem ter a sensação de liberdade, porque querem esquecer os problemas, bebem até perderem a dignidade.
Mas não -. Em um mundo onde propagandas de bebidas alcoólicas são mais interessantes do que a própria saúde, é quase um pecado dizer que o álcool é a porta de entrada para que outras drogas venham trazer a tão sonhada “felicidade”.
O fato, é que beber tem envolvido aspectos muito importantes. A bebida tornou-se o ombro amigo. Tornou-se a luz no fim do túnel para aqueles que estão estafados com o seu trabalho, e só irão melhorar com uma garrafa de vodka no final de semana. Meus caros... Isso é uma doença enorme e fatal. Postar nas redes sociais que você vai beber 4 garrafas de vodka como se isso fosse bonito, demonstra que você precisa de ajuda. Não estou querendo passar a impressão de que sou “a certinha”, mas também não quero ver pessoas que admiro tornando-se alcoólicos depressivos daqui a algum tempo.
Desde quando a bebida traz felicidade? Desde quando ela resolve seus problemas, ou paga suas contas? Desde nunca. NUNCA vi alguém dizer que bebia porque era feliz.
Então, quando você bebe para ficar feliz, demonstra que não pode ser feliz sozinho.
E quando você bebe no final de semana para descansar, demonstra que não consegue descansar de outra maneira, que não através de um depressor do sistema nervoso.
O álcool age como qualquer outra droga ilícita. Por que você quer se auto deprimir? Já não tem problemas o suficiente?
Sair com os amigos, conversar, desabafar, ouvir boas músicas, correr, se exercitar, é tão eficaz quanto os alcoóis que você costuma consumir. Enquanto você acha que é bonito beber, está apenas demonstrando impotência diante de sua vida, diante de sua mente.
Não é o álcool que te faz mais feliz, nem é ele que promove relaxamento. Mas sim a sua mente, sua maneira de pensar e ver a si mesmo. Resolver as infelicidades com os alcoóis é como querer resolver uma conta de divisão com a calculadora, e se achar o mestre em matemática. Não se resolve um problema com outro maior ainda.
Pare de beber para sentir-se melhor, pare de beber para relaxar.
Comesse a resolver de verdade seus problemas, poste nas redes sociais sua felicidade, e não suas impotências.

Preocupo-me com você,preocupo-me com meus filhos, preocupo-me com o mundo onde vivo. Tente se importar com isso.


Boa sorte.


Nenhum comentário:

Postar um comentário