14 abril 2015

APÓS COMA POR CONTA DO ÁLCOOL, LÍDER DO SUM-41 FALA DA QUASE MORTE



APÓS COMA POR CONTA DO ÁLCOOL, LÍDER DO SUM-41 FALA DA QUASE MORTE " NUNCA FIZ NADA SÓBRIO ".
Derryck Whibley, vocalista e guitarrista do grupo, teve falência de fígado e um rim por conta do excesso de bebida, com colapso em abril do ano passado. "Estou reaprendendo a andar".
Um ano após ter ficado entre a vida e a morte por conta do CONSUMO EXCESSIVO DE ÁLCOOL, o roqueiro Derryck Whibley, 35, vocalista e líder da banda Sum 41 falou sobre as sequelas que sofreu por conta do uso abusivo de bebida.
"Ainda estou reaprendendo a andar", contou ele, em entrevista ao site de música Noisey. Em abril de 2014, houve falência do fígado e de um rim de Derryck, o que fez com que ele fosse imediatamente hospitalizado. Lá, médicos o induziram ao coma, deixando-o internado por um mês.
O roqueiro, que é ex-marido da cantora Avril Lavigne, ainda teve fotos divulgadas em maio, que mostravam o seu estado físico por conta do alcoolismo. Ele explicou que agora está bem melhor de saúde e no caminho certo para a recuperação total. "Ficar em um hospital por todo aquele tempo, tudo 'murcha'. Meus músculos, tudo. Eu fiquei sem andar por muito tempo e ainda estou reaprendendo a andar normalmente", explicou ele.
Porém, Derryck percebe que o estrago do coma poderia ter lhe deixado sequelas ainda piores. "Eu poderia ter ainda mais problemas de saúde, mas meu fígado está bem. Tudo falhou antes que qualquer outro dano pudesse acontecer. Andar por aí, vivo, sem cirrose ou depender de transplantes, você sabe que poderia ter sido pior. Os médicos disseram que tenho sorte de estar vivo", completou.
Derryck ainda relembrou seu passado de dependência do álcool. "Festejar era normal. É muito estresse, um estilo de vida pesado. Eu bebia para acordar e conquistava aquela energia falsa. Havia muitas vezes que eu nem queria beber, mas eu me sentia tão cansado que uns shots de Jack [Daniels, o uísque] era tudo que eu conseguia no palco".
O vocalista e guitarrista, pelo visto, aprendeu a lição. "Nem mentalmente eu quero beber novamente. Eu cheguei ao limite e nem era divertido. Nunca fiz nada sóbrio. Desde os 17 anos eu era um beberrão, sem nunca tirar uma folga. Percebi que existem coisas que ainda não fiz na vida", finalizou ele.
Fonte : QUEM Acontece - 09/04/2015

Nenhum comentário:

Postar um comentário